Menu

Frutificar

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email

Os últimos meses foram ruins para a agricultura, a falta de chuvas prejudicou as plantações e o pouco que se cultivou estava mirrado e feio. Mas notei que as frutas, apesar de não estarem com a polpa tão robusta e atraente, estavam extremamente doces. Até o melão, geralmente sem graça, estava de uma doçura incomparável!

Essa situação de falta de chuva e escassez de água me fizeram refletir sobre a própria vida… Quantas vezes passamos por momentos semelhantes… A Fonte parece não jorrar como de costume, e à nossa volta o terreno fica árido, feio, sem expectativa de abundância, sem esperança de que possamos frutificar como Jesus fala em João 15.

Parece incoerente que seja assim, pois a Palavra diz que aquele que confia no Senhor será como a árvore plantada junto às águas, que estende as suas raízes para o ribeiro, e não receia quando vem o calor, mas a sua folha fica verde; e no ano de sequidão não se afadiga, nem deixa de dar fruto (Jeremias 17:8). 

A situação é que, algumas vezes, simplesmente não enxergamos a Fonte de águas. Parece que a sequidão é tão cruel que não podemos sentir nossas raízes alcançar o frescor que traz saciedade e vida. Nossos olhos não alcançam um lugar de refrigério e o cenário nos leva a pensar que, se a chuva não vier logo, não suportaremos mais um dia.

O fato é que não somos daqueles que se deixam levar pelo cenário de secura e falta, mas daqueles que, mesmo não sentindo o frescor e não vendo a Fonte, acredita que é possível dar sombra, abrigar e frutificar. Quem olha não entende como podemos manter o vigor num ambiente tão duro e difícil. Como podemos ter lugar para aninhar os que se mostram desanimados e sedentos, dar refrigério a quem não se acha em condições de seguir adiante e ser tão doce que, a alma do outro se sente farta e revigorada!

Quando há falta de chuvas e a água no solo é escassa, as grandes árvores buscam dos subterrâneos da terra as fontes mais profundas. A vegetação rasteira e parca perde o viço e até morre, mas as grandes árvores se sustentam com o que está longe do alcance comum. A pouca água, sustenta ao ponto de gerar fruto, e embora não seja tão vistoso, é incomparavelmente mais doce que o normal.

Situações incomuns podem não ser fáceis de lidar, mas certamente trarão resultados incomuns e surpreendentes àqueles que estiverem devidamente firmados na Rocha inabalável, aos que creem que a Fonte não cessa de fluir.

Com alegria vocês tirarão água das fontes da salvação’. (Isaías 12:3).

Publicações Relacionadas

Devocional
Adriana Goulart

A Bíblia e eu

Lâmpada para os meus pés, luz para o meu caminho. Viva e eficaz. O meu prazer de dia e de noite. Martelo que esmiúça a

Leia mais
Devocional
Felipe Rodrigues

O lado de dentro

Se eu te perguntasse qual foi o lugar mais incrível que você já conheceu, provavelmente receberia como resposta a descrição de alguma viagem inesquecível já

Leia mais

Outras Publicações

Vida Cristã
Cristian Oliveira

Entendendo o que é o namoro cristão

Vamos responder à seguinte pergunta: “O que é namoro?” Namoro é a fase de conhecimento entre duas pessoas. Atualmente existem duas linhas de pensamentos acerca

Leia mais
Devocional
Caroline Leal

Para viver o tempo da honra

As pessoas costumam pensar que o tempo da honra tem seu ápice quando todos estão nos vendo. Porém, o tempo da honra que vem de

Leia mais