Menu

ATITUDES QUE ATRAEM A ATENÇÃO DE DEUS: O HÁBITO DA ORAÇÃO

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email

Antes de apontarmos algumas atitudes que atraem a atenção de Deus, sinalizando que Ele é amado e respeitado, é necessário enfatizarmos que o Senhor não precisa esperar por nenhuma atitude da parte do homem para abençoá-lo. Ele é soberano e pode manifestar Sua graça, Seu favor, ao ser humano quando lhe aprouver. Contudo, pela análise de alguns episódios bíblicos, constatamos que Deus, em certas situações, em vez de simplesmente agir, tomando a iniciativa com relação a alguém, reage correspondendo à busca deste por Sua ação/ intervenção.

O Senhor agiu assim, por exemplo, quando Daniel o buscou, para decifrar o sonho do rei Nabucodonosor e para obter uma interpretação correta das profecias bíblicas (Daniel 3; 9; 10); quando Cornélio jejuou para buscá-lo. Assim, destacamos certas atitudes nossas que atraem a atenção de Deus, permitindo que Ele nos responda com bênçãos maravilhosas. Dentre essas atitudes, destacamos cultivar o hábito de orar, ser generoso, ofertando com amor e liberalidade, quebrantar-nos diante do Senhor e adorá-lo em espírito e verdade.

Cultivar o Hábito de Orar

Em Daniel 6.10, é revelado que este orava três vezes ao dia como antes estava acostumado a fazer. Daniel governava 40 províncias, que distavam 100, 200, 300, 400, 500 km uma da outra. Na época, não havia telefone, automóvel, avião, fax, internet, mas, mesmo assim, ele arrumava tempo para, três vezes ao dia, falar com o Senhor e buscar a face de Deus.

Sabe quais os resultados? Daniel tinha comunhão profunda com o Senhor e uma fé inabalável nele e em Sua Palavra. Quando a adversidade batia à porta, Daniel não ficava abalado nem confundido; antes, clamava ao Senhor, e este lhe respondia, dando-lhe livramentos e revelações tremendas, como os que estão relatados nos capítulos 2, 6, 7 a 12.

No capítulo 9, vemos que, enquanto Daniel orava a Deus por uma revelação (provavelmente sobre as profecias acerca da restauração de Israel, tendo em vista o contexto), o anjo Gabriel veio para entregar-lhe a resposta divina.

Atente para o relato de Daniel:

Estando eu ainda falando, e orando, e confessando o meu pecado e o pecado do meu povo Israel, e lançando a minha súplica perante a face do Senhor, meu Deus, pelo monte santo do meu Deus, estando eu, digo, ainda falando na oração, o varão Gabriel, que eu tinha visto na minha visão ao princípio, veio voando rapidamente e tocou-me à hora do sacrifício da tarde. E me instruiu, e falou comigo, e disse: Daniel, agora, saí para fazer-te entender o sentido. No princípio das tuas súplicas, saiu a ordem, e eu vim, para to declarar, porque és mui amado; toma, pois, bem sentido na palavra e entende a visão. Setenta semanas estão determina- das sobre o teu povo e sobre a tua santa cidade, para extinguir a transgressão, e dar fim aos pecados, e expiar a iniquidade, e trazer a justiça eterna, e selar a visão e a profecia, e ungir o Santo dos santos. Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém, até ao Messias, o Príncipe, sete semanas e sessenta e duas semanas; as ruas e as tranqueiras se reedificarão, mas em tempos angustiosos. E, depois das sessenta e duas semanas, será tirado o Messias e não será mais; e o povo do príncipe, que há de vir, destruirá a cidade e o santuário, e o seu fim será com uma inundação; e até ao fim haverá guerra; estão determinadas assolações. E ele firmará um concerto com muitos por uma semana; e, na metade da semana, fará cessar o sacrifício e a oferta de manjares; e sobre a asa das abominações virá o assolador, e isso até à consumação; e o que está determinado será derramado sobre o assolador.

Que revelação tremenda! Sabe por que o Senhor a concedeu a Seu servo? Porque Daniel havia atraído a atenção de Deus pela oração. Ele tinha o hábito de orar. Quando dobrava seus joelhos para buscar ao Senhor, tocava-lhe o coração.

No capítulo 10 de Daniel, vemos que Deus enviou um anjo até Seu servo com a resposta que este precisava. Daniel estava orando e jejuando há 21 dias. A resposta havia sido liberada pelo Senhor desde o primeiro dia, mas uma potestade diabólica se colocou no espaço sideral para bloquear a passagem do anjo e tentar impedir uma resposta de Deus a Daniel.

O anjo não gritou nem esperneou. Não falou nada. Voltou, e foi pedir reforço. Deus chamou Miguel, que é o comandante dos exércitos celestiais e o guarda de Israel, e incumbiu-o de resolver o problema. Miguel guerreou e abriu passagem para o anjo. Este chegou a Daniel e revelou-lhe:

Daniel, homem mui desejado, esteja atento às palavras que te vou dizer e levanta-te sobre os teus pés; porque eis que te sou enviado. […] Não temas, Daniel, porque, desde o primeiro dia, em que aplicaste o teu coração a compreender e a humilhar-te perante o teu Deus, são ouvidas as tuas palavras; e eu vim por causa das tuas palavras. Mas o príncipe do reino da Pérsia se pôs defronte de mim vinte e um dias, e eis que Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu fiquei ali com os reis da Pérsia. Agora, vim para fazer-te entender o que há de acontecer ao teu povo nos derradeiros dias; porque a visão é ainda para muitos dias.

Daniel 10.11-14

Preste atenção ao que o anjo disse: Daniel, homem mui desejado […] desde o primeiro dia, em que aplicaste o teu coração a compreender e a humilhar-te perante o teu Deus, são ouvidas as tuas palavras; e eu vim por causa das tuas palavras. A oração atrai o olhar de Deus. O céu inteiro foi movido pelo Senhor para que um homem com quem Ele tinha comunhão recebesse uma resposta Sua!

Você pensa que Deus só responde a oração de alguns privilegiados? Em Atos 10.4, é dito que, embora Cornélio fosse um gentio, por suas constantes orações e pelas esmolas que dava aos pobres, ele atraiu a atenção de Deus, que enviou Pedro à casa de Cornélio, para falar-lhe das boas-novas de salvação em Cristo.

Cornélio não era judeu nem cristão, mas o Senhor atentou para a sinceridade dele, e o recompensou com a oportunidade de salvação e de um relacionamento estreito com Ele por intermédio de Cristo.

Orar é falar com Deus. O Senhor tem várias maneiras para falar conosco, mas nós só temos uma: pela oração. Então, como pode um cristão não orar?

Alguns alegam que não têm tempo, porque trabalham muito, e não conseguem separar um tempo para orar, ler a Bíblia, meditar sobre os ensinamentos divinos e ir à igreja. Daniel era um homem ocupadíssimo, que governava 40 províncias e, como escravo na Babilônia, não podia negligenciar suas obrigações, sob o risco de morte, mas, mesmo assim, ele separava tempo para orar três vezes ao dia, como sempre fizera enquanto vivia como príncipe em Jerusalém.

Outros reclamam: “Eu oro, mas Deus não me responde”. Então, eles desistem. Mas Daniel nunca desistiu de falar com o Senhor. Quando a resposta não chegou com a mesma rapidez que das outras vezes, Daniel insistiu, e 21 dias depois obteve a revelação de que precisava.

Se você tem orado ao Senhor, apresentando-lhe uma causa, um problema, e até hoje não obteve uma resposta ou uma solução, não desista.

Pode estar demorando porque há uma batalha espiritual ou porque o Senhor está testando a sua fé e a sua perseverança.

Também pode ser que Deus já tenha respondido, mas você não entendeu porque esperava uma resposta diferente, ou Ele pode estar purificando suas intenções, uma vez que, como Tiago (4.3) nos advertiu: Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites.

Nossas petições a Deus precisam ser feitas em conformidade com a Palavra e a vontade do Senhor. Não podem ser motivadas por egoísmo ou vingança.

Você sabia que o cativeiro de Jó foi mudado quando ele orava pelos seus amigos (Jó 42.10)?

Preste atenção às instruções de Jesus quanto à oração, em Mateus 6.5-15:

E, quando orares, não sejas como os hipócritas, pois se comprazem em orar em pé nas sinagogas e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão. Mas tu, quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu Pai, que vê o que está oculto; e teu Pai, que vê o que está oculto, te re- compensará. E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios, que pensam que, por muito falarem, serão ouvidos.

Não vos assemelheis, pois, a eles, porque vosso Pai sabe o que vos é necessário antes de vós lho pedirdes.

Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome. Venha o teu Reino. Seja feita a tua vontade, tanto na terra como no céu. O pão nosso de cada dia dá-nos hoje. Perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores. E não nos induzas à tentação, mas livra-nos do mal; porque teu é o Reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém! Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós. Se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas.

A oração atrai a atenção de Deus. Move Seu coração a nosso favor no sentido de abrir a porta do impossível, dar a resposta, operar o milagre, trazer-nos a vitória.

Por isso Paulo recomendou:

Orai sem cessar.

1 Tessalonisenses 5.17

Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus, orando em todo tempo com toda oração e súplica no Espírito e vigiando nisso com toda perseverança e súplica por todos os santos.

Efésios 6.17,18

Você deseja que Deus olhe de uma maneira especial para você? Então trate de orar. Não adiantará você ler mil mensagens e não tomar a atitude de orar, falar com Deus.

O diabo não tem medo de voz grossa nem de frases de efeito ditas por cristãos. O inimigo teme um cristão de joelhos diante de Deus, porque sabe que um cristão que fala com o Deus todo-poderoso tem resposta, livramentos e milagres.

Sendo assim, em casa, no trabalho, enquanto você está no trânsito, mantenha-se em oração, elevando seus pensamentos a Deus e pedindo: “Senhor, guarda-me de todo mal. Abençoa a Tua Igreja, o meu pastor, os meus pais, o meu irmão. Dá-me graça. Faz um milagre. Abra as portas que eu preciso”. Deus é onisciente. Ele lê seus pensamentos, sonda o seu coração, e responde a sua oração.

Ore mais! Santifique-se, e prepare-se para o que o Senhor vai fazer em sua vida e por intermédio dela!

Que o Senhor lhe abençoe!

*Este texto é parte da obra “COMO TORNAR-SE AMIGO DE DEUS? – PASTOR SILAS MALAFAIA”

Publicações Relacionadas

Outras Publicações

Fala Malafaia
Silas Malafaia

O Potencial humano de Josué

Deus trabalhou muito na vida de Josué. Para entendermos isto, primeiro devemos ler Josué 1, versículo 2: Moisés, meu servo, é morto; levanta-te! Não há

Leia mais
Mulher Vitoriosa
Elizete Malafaia

A importância das avós

“Recordo-me da sua fé não fingida, que primeiro habitou em sua avó Lóide e em sua mãe Eunice, e estou convencido de que também habita

Leia mais